Saiba mais do YOM KIPUR

yom_kippur

No dia 10 de setembro, às 18:12 (hora de Jerusalém. 12:12 hora de Brasília), teve início o jejum de YOM KIPUR em Israel. Foi o início do dia 10 de Tishrei, no calendário hebraico, Dia da Expiação ou Perdão. Tudo na nação parou. Nenhum carro nas ruas. Nenhum fogão aceso. Todos recolhidos em oração. As Forças de Defesa de Israel estão em elevado estado de alerta.

É o dia mais sagrado para o povo judeu, quando espera alcançar o favor de Deus, recebendo perdão dos seus pecados. Todos, também, ao longo dos últimos 10 dias, foram encorajados a pedir perdão a quem ofenderam, e a estender seu perdão aos ofensores.

Há exatamente 40 anos, neste dia de Yom Kipur, Israel foi atacado pelos exércitos árabes, de surpresa. A chamada Guerra de Yom Kippur (1973) custou caro em vidas. Israel terminou vencendo, mas as marcas ficaram. A sombra daquela guerra se estendeu por uma geração. Israel ainda vive cercado por aqueles que não aceitam sua existência e querem destruí-lo. Todavia, o retorno do povo judeu é cumprimento de profecias milenares. Voltou à sua terra e nunca mais será arrancado. Este é um dos maiores sinais de que a vinda do Messias está às portas e os últimos versículos de Ezequiel, e tantas outros promessas, se cumprirão.

Neste Yom Kippur, de forma especial, fazemos nossas as palavras do Apóstolo Paulo: “O desejo do meu coração e a minha oração a Deus é que sejam salvos.” (Rm 10:1). Atendemos também o clamor do Salmista e oramos pela paz de Jerusalém. Paz que é uma Pessoa: O Príncipe da Paz. Que Ele senha reconhecido e recebido como único Senhor e Salvador.

No 7 de setembro devotamos 12 horas de oração pelo Brasil. Hoje, oraremos por Israel. E prosseguiremos, em nosso chamado sacerdotal de orar “por todos os homens.” Conscientes de que somos os canais do Espírito Santo, como eco de suas próprias intercessões e das de Jesus, junto ao Pai, entregamo-nos à oração.

Neste ano, Yom Kipur se inicia no dia 13 de setembro, sexta-feira, ao pôr-do-sol e termina na noite do dia 14, 25 horas depois. Yom Kipur, o Dia do Perdão, é o dia mais sagrado no calendário judaico. Encerra 10 dias de reflexão e arrependimento. É um dia de jejum absoluto, com orações intensas, introspecção e auto-análise, confessando seis pecados.

Todas as INSEJECs estarão observando um dia de jejum e intercessão pelo povo judeu. Aqui estão alguns focos de oração:

• Retorno do povo judeu a Deus, em seu Messias, Yehoshua (Jesus), e, por conseguinte, à sua redenção.
• A proteção e bênção de Israel e a cidade de Jerusalém.
• A restauração do povo judeu à sua vocação de ser emissários de Deus e luzes para o mundo.
• Retorno da Igreja, o povo do Messias, à reconciliação com Israel e o povo judeu, a fim de ser uma bênção para os filhos de Abraão, como os enxertados, com eles.
• A queda e remoção de todo véu, barreira ou obstáculo que possam se opor a estas bênçãos.

Yom Kippur é um dia de teshuvah (retorno e arrependimento). Para os crentes, também, é um chamado a teshuvah, isto é, ao retorno e arrependimento. Na realidade é um chamado para todos os dias. Devemos, primeiro, examinar-nos a nós mesmos, arrepender-nos dos nossos pecados e retornarmos ao primeiro amor (Apocalipse 2:4,5). Assim nossa intercessão para que Israel retorne a Deus e ao Messias será mais eficaz.

Esse chamado a interceder pela redenção de Israel, não possui limite de tempo. É até que. Tão somente, sendo Yom Kippur um dia quando o povo já está com o coração voltado para Deus, é propício clamar para que seus olhos sejam abertos e venha a sua redenção.

. : : Clique aqui : : .  e baixe um power point com o Orando a Palavra com  as declarações por Israel